Avaliação veicular – Ford Eco Sport - preços, versões, consumo de combustível




Modelo novo da Eco Sport revela todas as mudanças no veículo que vai pegar de novo sua fatia de mercado




Nos últimos tempos, a Ford começou a planejar a hegemonia no seguimento dos SUVs. E pensou as linhas que apresentaria nos mais variados cantos do mundo. Em se tratando de Brasil, essas linhas já tem nome. Chama-se EcoSport. Hoje, o carro é produzido na China, Índia e Tailândia.



Em relação ao modelo anterior, as mudanças foram radicais. Hoje a Eco tem linhas já futuristas, de acordo com os novos projetos da montadora e logo, o antigo projeto vai ficar obseleto. As mudanças foram desde iluminação interna, acabamento, faróis, como o próprio design do carro. Fabio Okano, gerente de engenharia, diz: "Além de preservar uma característica marcante do modelo anterior, o aplique plástico na coluna traseira funciona como um defletor aerodinâmico. O mesmo vale para as abas das lanternas, na porção que invade a lateral do carro", relata em entrevista publicada pela revista Quatro Rodas. 

Acesse a fã page do Motores em Movimento, curta e saiba dessas e de muitas outras avaliações do Blog.




Consumo de combustível do Eco Sport.


Segundo testes realizados na estrada e na cidade, as médias da nova Eco Sport chegaram a 7,9km/l (álcool) e 10,8km/l (gasolina) na estrada, contra 6,9 (álcool) e 9,5 km/l (gasolina) na cidade. A aceleração de 0 a 100 km/h acontece em 11,7 segundos, cerca de 15% melhor que o antigo.



Relatos mostram que o carro é muito competente na pista. No entanto, quando é ligado em temperaturas baixas, o motor falha um pouco até pegar no tranco.



A plataforma do veiculo é a do New Fiesta. Isso remete a uma elevação no conceito do carro. Pois antes, a Eco Sport era comparada ao Duster, e agora, A Sportage a Mitsubishi ASX. Com o aumento no conceito, subiu também o preço base para o veículo.



Preços e versões da Eco Sport.



S (53490 reais), SE (56490) e FreeStyle (59990), todas com o Sigma 1.6 16V de 115/110 cv. Quem quiser um motor mais potente terá à disposição o Duratec 2.0 16V de 147/141 cv nas versões FreeStyle (62490 reais) e Titanium (70190).



Veja uma análise da revista quatro rodas sobre alguns pontos positivos e negativos do carro.



PONTOS POSITIVOS



Vida fácil - O Ford Sync permite configurar as funções do carroe controlar dispositivos externos, como um iPod. Porta-luvas tem comunicação com o ar-condicionado, mas falta iluminação. Pelo volante se controla o som e o celular.


PONTOS NEGATIVOS



Dá para melhorar - Cinto do motorista se prende na alavanca de ajuste do banco, chegando a desencaixá-la. No teto, faltam as alças de segurança para os passageiros. O estepe ainda é suportado pela tampa. E ela continua sendo fonte de ruídos.



DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO



A direção elétrica é leve. Bem calibrada, tem boa progressividade, o que proporciona sensação de segurança em velocidades elevadas.



MOTOR E CÂMBIO



O conjunto é bem acertado e adaptou-se bem ao carro. O Eco pesa 98 kg a maisque o New Fiesta, mas mesmo assim registrou números bem próximos aos obtidos pelo hatch.



CARROCERIA



O desenho agrada, mas a unidade avaliada - pré-série, segundo a Ford - apresentava desalinhamentoda tampa traseira e peso excessivo das portas dianteiras,o que dificultavasua movimentação inicial de abertura.



VIDA A BORDO



Assim como o design externo, a cabine evoluiu muito. Refinada e hi-tech, nem de longe lembra a do antecessor.



SEGURANÇA



Tem airbag duplo, ABS e controles de tração e estabilidade de série.



SEU BOLSO



O novo Eco não é barato, mas justificao aumento de preço.A versão S, com ar, direção, trio elétrico, ABS e airbag duplo custa 2 870 reais mais que o antigo FreeStyle.



OS RIVAIS



Duster Dynamique 1.6 16V - É só um pouco mais completo que o Ford básico e custa 540 reais a mais. Mais espaçoso e maior, sofrerá com o novo Eco.

Veja também uma reportagem com a Avaliação do Renault Duster e veja qual dos dois vale mais a pena.



ASX 2.0 16V - Custa 82 990 reais. Será feito no Brasil em 2013 e ganhará motor flex e face-lift. Deve sentiros efeitos da estreia do Eco.

Veja também um texto com a avaliação do Fiat Freamont.



VEREDICTO



Mesmo com preço alto, a versão FreeStyle 1.6 deverá continuar no topo do mix de vendas. A inclusão de itens de conforto, tecnologia e, sobretudo, de segurança ajudará o modelo a atrair a atenção de consumidores mais exigentes.



Avaliação da Eco Sport



Pode-se dizer que a Eco teve uma mudança total. O Duster tomou a liderança da Ford e o carro saiu da mesmice depois de 10 anos. Agora, o carro não passa a despercebido em lugar nenhum. O painel está moderno e grande. O espaço interno é maior e o aproveitamento dele é top. O que fica devendo é a qualidade dos materiais. Cabem perfeitamente 4 adultos e uma criança. O porta malas, embora tenha crescido, continua pequeno para a categoria.



Air bags Dianteiros. Cinto de três pontos e freio ABS ajudam e muito na segurança. O sistema de som permite até a realização de ligações telefônicas.



A potência e torque são boas, no entanto, o peso do veículo prejudica nas retomadas e arrancadas. Se lotado, piora ainda essa sensação. O consumo se manteve nos mesmo níveis do modelo anterior, que já era razoáveis.



A suspensão evoluiu e tem boa estabilidade. O motoristas se sente em uma posição mais alta para dirigir e o carro responde bem aos buracos, com bom amortecimento e nenhum ruído externo. A posição de dirigir ainda pode ser ajudada.



Ele tem uma relação custo benefício razoável e design inovador. Com isso, ele pode voltar a ser líder no seguimento em breve. 

Vídeo sobre a avaliação do Eco Sport. Assista.